terça-feira, outubro 10, 2017

voar & cair a pique

"O teu sabor na minha boca
O teu cheiro na minha roupa
Quem nos veja de fora 
vê que bates forte cá dentro 
e que este relacionamento 
vai de vento em popa

Mas tu sabes que eu tenho outra
Aliás tu sabes que tento outras
Mas acabo sempre à tua porta 
cheio de esperança morta 
a prometer que as deixo todas

Porque acredito nisto tipo bieber
Bebi até ser um hepatite B liver
Quando te vi cold Nat'ally tive fever
Dame más gasolina, tu és Adictiva
Como um parasita precisas de um corpo vita
És um estereótipo e ele tipo histérico tripa
'Tás viva no meu sangue, suor e saliva
Nunca tive tão cativo de algo que cativa"


quinta-feira, outubro 05, 2017

as cidades invisíveis

"As retretes das casas-de-banho modernas erguem-se do chão como uma flor branca de nenúfar. Os arquitectos fazem os impossíveis para que o corpo esqueça a sua miséria e para que o homem não saiba o que acontece às dejecções das suas vísceras quando a água do autoclismo, a gorgolejar, as expulsa da vista. Embora os seus tentáculos se prolonguem até nossas casas, os canos de esgoto estão sempre cuidadosamente disfarçados e por isso não sabemos absolutamente nada a respeito das invisíveis Venezas de merda sobre as quais se encontram construídas as nossas casas de banho, os nossos quartos, os nossos salões de baile e os nossos parlamentos."

Milan Kundera, "A Insustentável Leveza do Ser"

domingo, setembro 17, 2017

estado falhado

Peña: "A part of me was holding out hope, I guess..."

Ambassador: “You should tell that part to grow the fuck up.”

- Narcos, Season 3, Episode 10: "Going Back To Cali"


quinta-feira, agosto 31, 2017

"the weels on the range go chop chop chop"

o regresso dos destruídos faz-se de madrugada. com o sol a invadir a serra. A4 adentro. o verão, envelhecido, atravessa o dia que nasce. os primeiros trabalhadores fazem-se à estrada, cruzando-se com os últimos festeiros de regresso a casa. de certeza, existe um delicado sentido de equilíbrio nisto tudo, comentam. no banco de trás, um deles acende um cigarro que não lhe sabe a nada, depois de fumar a noite toda. na frente, o condutor tem o seu vidro aberto e saboreia o vento. riem-se com o cansaço. passa hip-hop no rádio, e o cenário é épico. "já se faz tarde, o percurso é longo / mano, dá-me pratos, tarola e bombo". o exterior e as pessoas sobrevivem. amenos. impávidos. belos porque falíveis, revigorados porque prescindíveis. a inevitabilidade da jornada, confere-lhe a solenidade de uma missa.


segunda-feira, agosto 21, 2017

rolo compressor

corres colina abaixo, rumo ao canto da cascavel, qual leeroy à cabeça de uma avalancha humana. levas tudo até à frente da tempestade, e berras-lhe na boca. ela esteve a um milhão de milhas de distância a tua vida toda, agora é tua para o embate. separavam-vos a barreira da tua mortalidade, da falência da tua carne, não importa o quão alto berros, e quão baixo ela te agrida. vocês enfrentam-se, mas não se tocam. és Tântalo outra vez. atrás de ti, rola a turbe: querem a tua ânsia. tu esqueceste-los, imaginaste que fosses só tu a fugir do mundo e não a liderá-lo. morreste esmagado por eles, contra o inultrapassável obstáculo do fim do teu sonho, com um grito final de animal inominável. como um louco, incauto e sujo. 

segunda-feira, agosto 07, 2017

united colours of go fuck yourself



"Quem sabe demais, quem nunca chorou
Quem nunca perdeu tudo, nunca viu o carnaval
Quem pensa demais, quem nunca falhou
Quem nunca ficou louco, não fugiu do carnaval"

sexta-feira, agosto 04, 2017

traduções desencontradas

"A estranheza da beleza nova-iorquina atrai loucamente Sabina. A Franz, fascina-o, mas, ao mesmo tempo, assusta-o: dá-lhe saudades da Europa."

Milan Kunderam, "A Insustentável Leveza do Ser"


"I waited for you
In the spot you said to wait
In the city, on the park bench
In the middle of the pouring rain
'Cause I adored you
I just wanted things to be the same
You said to meet me up there tomorrow
But tomorrow never came
Tomorrow never came"